Kanye West está planejando produzir e ‘vender’ roupas de graça

Em entrevista à Forbes, Kanye West revelou que planeja fazer roupas de graça.

Após a dissolução de sua parceria de 10 anos com a Gap, Kanye West reiterou seu desejo de produzir roupas acessíveis e revelou o preço pretendido para seu novo óculos YZY SHDZ. “Quando for vendido nos Estados Unidos, será fabricado na América, e quando for vendido na China, será fabricado na China”, disse ele. “Assim, os óculos custarão US$ 20, e tudo na loja Ye Supply custará US$ 20 (R$ 100). E estamos trabalhando em como fazer roupas de graça. Porque a vida é de graça.”, disse.

Ye continuou: “É nossa responsabilidade e prazer transformar esses sonhos em realidade, simplificar as coisas e fornecer mais espaço para as pessoas imaginarem, [não] restringindo ou reforçando ideias”. Parece que Kanye tem um grande trabalho pela frente para fazer roupas da YEEZY de graça. Mas isso confirma sua inspiração nas pessoas sem-teto como inspiração para produzir suas roupas. 

Voltando ao YZY SHDZ, a peça fez sua estreia pública como parte de uma prévia de uma próxima coleção da Yeezy Gap e, com o anúncio do fim de sua parceria com a empresa, foi revelado que a Gap ainda tinha o direito de vender qualquer produto criado pela collab com Kanye.

Não está claro se o YZY SHDZ chegará como parte da dessa collab com a Gap ou se Ye levará o design como parte de seus planos para um empreendimento independente na moda. Não é a primeira vez que Ye expressa sua intenção de vender produtos a preços tão baixos quanto US$ 20 (R$ 100) ou até mesmo de graça.

Em uma entrevista recente à CNBC, conforme observado pela Fortune, ele revelou que queria que algumas peças fossem vendidas no varejo a um preço baixo. Quando sua coleção mais recente com a Gap estreou, os preços variavam de US$ 60 a mais de US$ 300. “Nossa agenda não estava alinhada”, disse ele. Em 2020, ele também sugeriu que o Yeezy Foam Runner, que foi produzido com seu parceiro de calçados Adidas, fosse vendido por US$ 20 (R$ 100).

Em outra parte de seu bate-papo na Forbes, Ye abordou seu futuro com a Adidas, com quem seu relacionamento azedou ultimamente. “É aqui que a Adidas e eu estamos… Existe a possibilidade de [nós] podermos co-vender os produtos que fabricamos, mas não de uma maneira que eu não possa dizer sobre as cores e onde eles estão me tratando como eu estou morto”, revelou.

“E ver bolsas na loja da Times Square, no número um, o principal imóvel localizado no mundo, onde qualquer empresa com lojas iria querer… Foi a primeira vez que as compras da Gap subiram desde 2013. Falei com a diretoria da marca; eles me olharam como se eu estivesse mudo.”, encerrou o rapper.