capa LaKeith Stanfield takeoff capa LaKeith Stanfield takeoff

LaKeith Stanfield diz que não se pode apoiar o movimento negro e ser a favor do Gangsta Rap após morte de Takeoff

Morte de Takeoff fez muitas pessoas se posicionarem sobre a violência dentro do hip-hop.

Após a morte de Takeoff, o rap está de novo em um grande debate. Desde a sua criação, o Hip-Hop foi desrespeitado independentemente de seu conteúdo lírico, mas quando o Gangsta Rap surgiu no final dos anos 1980 e dominou as cenas musicais mainstream da Era de Ouro do rap nos anos 90, as críticas sobre isso só aumentaram.

Quando existem notícias de um rapper sendo preso, ferido durante uma briga ou morto em um ato de violência, as pessoas rapidamente miram nas letras do rap. Surgem dúvidas sobre se o Hip Hop está ou não perpetuando uma cultura de violência e, de acordo com LaKeith Stanfield, a resposta é sim. O artista compartilhou sua opinião depois que o mundo soube que Takeoff foi morto durante uma briga envolvendo jogo de dados.

Capa Takeoff
Foto: Rob Ball/GI

Stanfield compartilhou um post que dizia: “Se você é do gangsta rap, não pode também ser gangster. A toxicidade perigosa associada a esse serial killer negro glorificado,a música e imagens mortas fizeram as pessoas pensarem que é legal ferir aqueles que se parecem com eles e SOMENTE eles”, escreveu Stanfield. “Não há problema em abraçar as realidades da vida nas áreas mais difíceis, mas vamos pensar em NÃO manter esse comportamento em nossos círculos. Vamos tornar legal abraçar a vida, viajar e aprender coisas novas!”, disse.

A estrela do basquete Nick Young teve uma resposta semelhante quando questionou por que nunca ouvimos falar de artistas como Jonas Brothers temendo violência armada ou se tornando vítimas de tais crimes. Stanfield continuou. “Sei que o escopo das questões com as quais temos que lidar é muito maior do que apenas isso e que temos muito trabalho a fazer em muitas áreas para restaurar nossos corações e mentes após séculos de perseguição e manipulação, mas tem que começar em algum lugar. Em algum nível, temos que ver nossas vidas como valiosas para pensarmos antes de reagir e ver outro humano quando olhamos para um homem humano”, falou.

Confira o post abaixo: