Rapper Tay-K fala sobre racismo sistêmico em meio aos protestos nos EUA

52

Tay-K fala sobre os protestos e o racismo sistêmico em uma mensagem atrás das grades.

Finalmente, todos os quatro policiais envolvidos no assassinato de George Floyd foram acusados. Derek Chauvin, o ex-policial que se ajoelhou à força no pescoço e nas costas de Floyd por mais de oito minutos, teve sua acusação atualizada para assassinato em segundo grau, mas isso não significa que a luta acabou. De fato, está realmente apenas começando.

O racismo sistêmico é um problema que as pessoas negras tiveram que lidar a vida inteira na América e em muitos outros lugares pelo mundo. Enquanto os protestos continuam nesta semana, um homem que se tornou um produto do sistema está se manifestando. O jovem rapper Tay-K, que foi preso e condenado a 55 anos de prisão por assassinato, está abordando o clima social atual de trás das grades, fornecendo uma atualização e fazendo uma pergunta importante.

“Nossa vida negra importa. Pare a opressão sistêmica”, escreveu o rapper. “Vindo de um garoto negro preso nesse ciclo desde os 4 anos de idade. Meu pai foi preso levando minha mãe a perder a custódia de mim e de minha irmã. Eu tive que viver em um lar adotivo até que eu tivesse 13 anos quando meu pai foi libertado da prisão e recebeu a custódia de nós. Por causa de um ambiente doméstico tóxico, eu e minha irmã fomos forçados a sair de casa aos 15 anos de idade sendo rotulados como fugitivos, tive que me envolver em atividades que não tem orgulho de fazer face às despesas.”

Ele continuou, fazendo uma pergunta para encerrar sua mensagem. “Estas são as cartas que recebi, e minha pergunta hoje é… eu se quer tive uma chance algum dia? Nós não temos chance.”