Equipe de Tupac está processando a Universal após incêndio que teria destruído gravações do rapper

by

O patrimônio de 2Pac está listado entre os demandantes no processo de US$ 100 milhões contra a UMG.

De acordo com documentos legais que chegaram ao New York Times, o espólio de Tupac Shakur tomou uma ação definitiva contra a Universal Music Group sobre sua culpabilidade em um incêndio de 2008 que destruiu as gravações originais de uma série de artistas lendários: Eminem, Aretha Franklin, Ray Charles, 50 Cent, Tupac e Snoop Dogg, estavam entre os listados no agrupamento inicial.

De todas as partes afetadas por esse incêndio, as propriedades de Tom Petty e Tupac Shakur figuram como os principais proponentes do processo. Bandas como Hole e Soundgarden também estão implicadas em uma capacidade muito menos latente. O incêndio em questão supostamente destruiu mais de 100.000 rolos de áudio, com o efeito de 500.000 gravações totais – os números foram confrontados pela UMG. A Universal Music Group, no entanto, expressou a necessidade de manter um código de transparência em relação aos artistas sob sua bandeira.

A documentação legal afirma que a UMG não cumpriu sua obrigação de “proteger” as cópias mestras. O que exatamente isso implica, está sujeito a interpretação. O processo também alega que nenhum dos artistas afetados pelo incêndio de 2008 recebeu compensação por suas perdas. O consórcio está buscando mais de US$ 100 milhões em danos.

Relacionados