CEO da adidas defende Kanye West: ‘Ele não é uma má pessoa’

Escrito por Felipe Mascari 19/09/2023 às 21:22

capa CEO ADIDAS KANYE WEST Foto: Divulgação
  • Facebook
  • WhatsApp
  • X (Twitter)
  • ícone de compartilhar

Chefe da empresa alemão elogiou Kanye West e sua capacidade artística de inovar na moda.

O CEO da adidas, Bjørn Gulden, defendeu o rapper Kanye West em uma entrevista recente, apesar de a gigante de vestuário ter cortado os laços com o polêmico artista no ano passado. O executivo elogiou a criatividade de Ye na entrevista e admitiu que, embora a empresa tenha decidido romper com o cantor, ele não acredita que “ele seja uma pessoa ruim”, após seus comentários antissemitas.

Bjørn Gulden assumiu o cargo de CEO da Bjørn Gulden em novembro de 2022, após o rompimento da empresa com Kanye West, mas ele já havia mostrado apoio à marca Yeezy no passado. Embora a linha Yeezy tenha sido descontinuada, a adidas viu um aumento nas vendas ao vender modelos existentes da marca para impulsionar os lucros. Segundo a SGB Media, a venda recente dos agora descontinuados Yeezys deu à marca um aumento de 85%.

Capa Kanye e Adidas

FOTO: GETTY IMAGES

“Eu acho que Kanye West é uma das pessoas mais criativas do mundo. Tanto na música quanto no que eu chamo de cultura de rua. Ele é extremamente criativo e, junto com a adidas, criou uma linha Yeezy que foi muito bem-sucedida. E então, como pessoas criativas, ele fez algumas declarações que não foram tão boas. E isso fez com que a nossa empresa quebrasse o contrato e retirasse o produto. Muito infeliz porque eu não acho que ele quis dizer o que disse e não acho que ele seja uma pessoa ruim, só pareceu assim”, disse Bjørn Gulden.

“Isso significa que perdemos esse negócio. Uma das colaborações mais bem-sucedidas da história – muito triste. Mas, novamente, quando se trabalha com terceiros, isso pode acontecer. Faz parte do jogo. Isso pode acontecer com um atleta, pode acontecer com um artista. Faz parte do negócio”, acrescentou o ceo da adidas.

A adidas ainda registrou prejuízo no segundo trimestre, com mais de 491 milhões de dólares em prejuízo para a marca. No entanto, as vendas Yeezy (que aumentaram devido à enorme demanda pelo produto) salvaram a adidas de um prejuízo inicial muito maior de 764 milhões de dólares. “Estamos satisfeitos com o desenvolvimento do segundo trimestre”, disse ele, em um comunicado. “O núcleo dos negócios da adidas foi ligeiramente melhor do que esperávamos. […] A venda da primeira parte do estoque Yeezy, é claro, ajudou tanto no nosso faturamento quanto no lucro no trimestre.”

Apesar dos problemas variados de Kanye West, os Yeezys ainda são uma grande fonte de lucro para o rapper. Em junho, Ye teria embolsado 25 milhões de dólares da adidas em royalties em apenas 24 horas, depois que o estoque remanescente dos Yeezys voou das prateleiras após o término da parceria conturbada entre eles.

Veja um trecho da entrevista no Twitter:

ícone

Recomendados para você