A modelo conhecida como Cocoa Mami decidiu falar sobre tudo o que seu nome foi envolvido nas últimas semanas.

O Portal Rap Mais, mais uma vez, dá voz para todos os lados da história que foi o assunto mais falado da cena na semana passada: o desligamento do Klyn do coletivo Recayd. Clara Soares, de 22 anos, modelo agenciada, DJ e produtora de eventos nos procurou para ter seu direito de resposta e poder dar a sua versão do caso, pois ela foi amplamente citada por todas as partes por ser ex-namorada do rapper Klyn. Inclusive na versão de Caroline Cardoso, ex-namorada de Jé Santiago e acusada de ter um caso com Klyn, que nos contou sua versão após Clara revelar a traição e afirmar que tinha sido agredida pelo rapper. 

Os fatos e prints a seguir foram todos revelados por Clara e contam a sua versão dos problemas que a mesma teve em seu relacionamento com Klyn. Segundo a jovem, que também possui nome artístico de Cocoa Mami, conheceu o Klyn em julho de 2017 no evento que ela produz em Porto Alegre, no qual ele foi por conta própria. Até então ela nem sabia o que era Recayd. Eles só ficaram em agosto do mesmo ano porque ela viajou para o São Paulo Fashion Week e acabaram se encontrando.

Klyn e Clara começaram a manter um relacionamento à distância, no qual ela viaja para São Paulo todo mês, alugava Airbnb, e arcava com todos os custos da viajem sozinha porque ele não tinha dinheiro pra ir a visitar.
Em dezembro de 2017, o Klyn fez a proposta dela se mudar para São Paulo.

“Eu aceitei porque estava muito apaixonada, mesmo minha família me avisando que não era uma boa escolha mudar de Estado em um momento tão bom pro meu trabalho aqui e pra morar com alguém que eu mal conhecia. Eu recém tinha entrado na agência e fazia 2 trabalhos por semana, todos com cachê acima de 2K. Minha produtora estava num ótimo momento também, cada vez crescendo mais. Mas eu abri mão de tudo isso pra estar perto de quem eu gostava e acreditava que era recíproco. Mas depois de tudo percebi que ele apenas queria sair da casa da mãe, não tinha condições financeiras e me usou pra isso”, conta Clara.

Em fevereiro de 2018 Klyn foi para Porto Alegre pela primeira vez, se hospedou na casa da Clara e conheceu a família dela. Quem pagou a passagem dele foi ela, porque como foi dito antes ele não tinha condições financeiras na época. Ele retornou pra o sul em março pro o aniversário da então namorada e a partir daí começarams um relacionamento sério. Inclusive em abril daquele ano ela contratou o show da Recayd Mob pro seu evento.

Relação com Caroline

Clara Soares começou a relação de amizade com a Caroline Cardoso nessa época. A primeira vez que se viram foi em um evento em São Paulo, ela ainda namorava o Jé Santiago. Mesmo quando ela terminou a relação com ele continuamos mantendo contato.

Em agosto de 2018, Clara e Klyn alugaram um apartamento em Guarulhos. Ela pagou o caução do apartamento e o contrato de aluguel estava em seu nome. Assim como água e luz. Apenas a internet e tv estava no nome do Klyn.

Em outubro do mesmo ano a Caroline, segundo Clara, veio para Porto Alegre, paro aniversário de 2 anos de seu evento e ficou 10 dias na casa da sua família. Foi a partir daí que elas se aproximaram de fato. Clara diz que Caroline estava muito abalada por conta do término com o Jé e ela a ajudou nesse momento difícil.

“No dia 13 de dezembro do ano passado, a Recayd teve um show aqui em Porto Alegre.’Aniversário’ do Klyn. Digo aniversário entre parênteses porque ele é tão mentiroso que mente até a data de aniversário. Até então estava tudo ótimo. Ele jantou com a minha família e estávamos num clima perfeito. Ele retornou para São Paulo, eu precisei ficar aqui por questões de trabalho e ele simplesmente mudou comigo do nada. Começou a postar coisas nas redes sociais que não condizem com quem tem relacionamento sério. Enquanto tudo isso rolava, a Caroline me mandava print de tudo que ele postava, perguntando se eu estava bem, coisas que eu mesma estava evitando de ver pra não me sentir mal, mas ela fazia questão de me mandar tudo. Comecei a desconfiar, acredito que o relacionamento dos dois começou por essa época, talvez tenha sido até antes”, relata Clara.

Momento crítico

No dia 23 de dezembro o ano passado, Clara chamou Klyn para gente uma conversa e ele concordou. Ao chegar em casa, ela achou camisinhas na bolsa dele e ele disse que eram do Dfideliz, pois emprestou a bolsa pra ele.

“Tivemos uma briga feia. Inclusive descobri um tempo depois que neste dia ele tinha ido pro motel com a Caroline enquanto eu estava viajando de ônibus até São Paulo porque não consegui a passagem de avião. Nesse dia ele me sacudiu inúmeras vezes, gritou de uma forma muito agressiva, me jogou no chão e me fez mais uma vez sentir culpada por estar duvidando do cara que me amava e respeitava. Ridículo. Conversamos e eu acabei me desculpando por ter duvidado dele. Como sempre assumindo o papel de louca da história. Ele sempre me fazia duvidar da minha sanidade mental por conta das desconfianças que eu tinha dele. Durante a nossa relação eu sempre desconfiei que ele nunca me respeitou. Já havia visto algumas conversas com meninas no celular dele, mas ele sempre me fazia pensar que eu estava louca”, revela a modelo, que ainda revela mais uma parte importante da história.

“Até então ficamos bem e fomos pra uma viagem de ano novo, em Florianópolis.Convidei a Caroline para ir junto. Durante a viagem notei uma intimidade estranha entre os dois. Ele me tratava mal, gritava comigo e era extremamente grosso na frente de todos que estavam lá, enquanto tratava ela e os demais muito bem. Ele não dormia comigo e me fazia sentir como a louca que estava estragando a viajem. Discutimos lá inúmeras vezes, o clima estava péssimo. A partir daí comecei a ter certeza que tinha algo rolando entre os dois mas não tinha provas e eu acabava sempre ficando na dúvida, questionando minha sanidade mental e me sentindo culpada por estar duvidando da minha amiga”, diz Clara.

Agressão

Segundo a jovem, ao voltarem para São Paulo, no dia 11 de janeiro, Klyn foi direto pro show e Clara para casa. Ele estava a tratando como se realmente não tivessem mais nada. Ela não dormia, não comia, chegou em Porto Alegre pesando 39kg. Fumava 2 maços de cigarro por dia. Tinha crises de ansiedade o tempo todo, dores no corpo. Se sentia observada dentro de casa. Estava vivendo um inferno e o seu psicológico estava se destruindo. Segundo ela as únicas pessoas que ela tinha em São Paulo estavam a traindo, mas não tinha como provar.

“Eu questionava a mim mesma por estar duvidando da minha amiga. Eu estava cada vez pior e não queria contar para ninguém pra não preocupar meus familiares porque não teriam condições de ir me buscar ou algo tipo. Eu estava literalmente no fundo do poço e sozinha. Até que o Klyn voltou pra casa e disse que queria um tempo. No dia 29 de janeiro deste ano achei uma camisinha dentro da minha caixa de sapatos e não era minha. Questionei e ele surtou. Começou a gritar, dizendo que eu era um lixo, que era imunda e que ele poderia acabar comigo. Disse que não estava mais nem aí para mim porque ‘ele estava na melhor fase com a Recayd’. Me levantou pelo pescoço e me sufocou até eu ficar sem ar, me deu inúmeros tapas no rosto, fui me defender e a minha unha descolou da carne, ele disse que poderia me matar e beberia meu sangue se quisesse. Que se eu contasse a alguém ele me mataria e ninguém ligaria pq eu era um lixo. Ele me jogou no chão e mandava parar de chorar e continuava as humilhações, tentei me defender algumas vezes e ele me jogava no chão, e me sufocava. A filha dele estava lá e mesmo assim ele fez tudo isso na frente dela. Ele saiu com a menina e eu liguei pra Caroline tendo uma crise de ansiedade horrível, pedi ajuda e que ela fosse me buscar la e eu ficaria na casa dela até o dia de voltar para Porto Alegre, pois já estava com a passagem comprada. Ela se mostrou indignada, disse que me ajudaria. Fiquei esperando e nada. Ela deu uma desculpa de que teve problemas e estava no curso e que iria no outro dia. Depois ela simplesmente sumiu.”, revela a modelo que ainda conta das ameaças mais graves.

“Ele pegou uma faca e disse que iria me cortar todinha e beber meu sangue. Disse que iria me matar. Que toda aquela situação era minha culpa. Que eu causei aquilo. Eu senti medo, mas o enfrentei. Fui levada ao meu limite. Só Deus sabe o que eu senti naquele momento. O klyn é dissimulado e dá para ver isso pelo tipo de postagem que tem no Tumblr dele”, conluiu.

Clara descobriu de madrugada que Caroline havia sido assaltada, ela disse que foi próximo à casa dela. A gaúcha foi para um apartamento de dois amigos aqui de Porto Alegre que estavam de férias em São Paulo.

Flagra

No dia 30 de janeiro, Clara foi na Void Centro. Encontrou com uma amiga de anos aqui de Porto Alegre que trabalhava lá. Ela a perguntou se estava com o Klyn ainda, então veio a confirmação. A garota disse que a Caroline apareceu lá no dia que foi assaltada, logo em seguida o Klyn e ambos foram embora juntos. Ao invés de ir a ajudar, Caroline foi encontrar o Klyn que tinha agredido Clara.

“Ela sabia de tudo e ficou no do lado dele. Ela escolheu isso, deixar a amiga dela na mão pra sair com o namorado da amiga. Liguei pro Klyn cobrando isso dele e ele negou tudo, me chamou de louca, disse que minha amiga estava mentindo e que o pessoal de Porto Alegre são todos mentirosos. Dormi no apartamento que meus amigos estavam hospedados e no outro dia acordei e lembrei que a Caroline tinha me passado e-mail e senha das suas redes na viagem de ano novo. Acessei o Twitter dela e vi todas as conversas dos dois e marcando de ir pra minha casa em Guarulhos no dia anterior e inclusive eles combinando de forjar prints com uma terceira pessoa pra me enganar. Fui até minha casa e peguei Klyn e Caroline no ato. Ele olhou pra minha cara e disse que aquilo era culpa minha e ela disse que simplesmente aconteceu. No meio da confusão, ele pegou meu celular contra minha vontade e excluiu esses prints do Twitter dela pra eu não ter provas. Enquanto eu brigava com ela, ele se trancou no banheiro com meu telefone pra excluir as provas. Estava mais preocupado em manter a imagem dele pra que os amigos não descobrissem do que de fato com a amante dele. Esse cara não gosta de ninguém, nem de si mesmo”, revela Clara, que conclui:

“Durante a confusão ele me pegou pelo pescoço diversas vezes pra me tirar pra fora da minha própria casa, defendendo a Caroline. Quando a confusão acabou eu mandei mensagem pra mãe dela contando o que havia acontecido na esperança de que ela ajudasse a filha a enxergar o mal que havia me causado. Ela confirma a conversa que teve com a Caroline e o erro que a filha cometeu”.

Conversa com a mãe de Caroline

No meio da confusão, Clara acabou ficando com a identidade de Caroline e estava combinando com a mãe dela de entregar. Como mostram os prints a seguir.

Mais descobertas e caso do apartamento

Clara descobriu que eles estavam tendo um lance há bastante tempo e já tinham sido vistos juntos algumas vezes em São Paulo enquanto ela viajava pra Porto Alegre a trabalho. Ela conta que não tem como saber ao certo quanto tempo os dois estavam tendo esse caso. Além de mensagens de conhecidos que viram os dois juntos, ela se lembrou que ainda tinha o e-mail e senha messenger de Caroline, pois, como ela disse antes a própria lhe passou a senha. Com isso rla teve a certeza de que eles continuavam se relacionando, como mostra nesses prints do próprio

“Depois disso tudo as ameaças começaram. Todos os meus pertences ficaram no apartamento, em São Paulo. Trouxe só uma mala pra cá quando retornei porque não tinha dinheiro no momento pra trazer tudo. O Klyn se mudou pra mansão onde ele mora hoje e minhas coisas ficaram lá, mas ele começou a me ameaçar caso eu tentasse buscar. Contradizendo o que ele disse na live que eu deixei as coisas lá porque quis. Eu me neguei a buscar porque fui ameaçada de morte por amigos dele em Guarulhos”, conta.

Alguns dias depois, Clara foi procurada pelo dono da imobiliária e ele me mandou a seguinte mensagem dizendo que o Klyn devolveu a chave da casa, as fotos de como o apartamento foi encontrado e como estavam seus pertences. Inclusive no clipe da música Vibe, onde ele diz que achou o guarda-chuva usado no clipe no lixo e que não tinha intenção de hype, segundo ela, ele mentiu, pois aquele guarda-chuva era dela e foi um presente de aniversário de sua mãe.

Finalizando com as palavras de Clara Soares

“Eu escolhi ficar quieta porque só queria me distanciar disso tudo. Quem me conhece sabe como cheguei em Porto Alegre pesando 39kg. Fui diagnosticada com depressão. A todo momento ele me atacava, ficava me expondo como mentirosa e eu quieta. Até que a Recayd expôs ambos depois daquela live cheia de mentiras onde o Klyn conta a versão que ele inventou na qual ele é vítima, assim como a Caroline usou as situações do relacionamento dela com Jé pra tirar o foco e sair como vítima. Claro que não compactuo com o que o Jé fez, mas foi conveniente pra ela expor isso nesse momento. Ambos são culpados pela destruição do meu psicológico e não tem caráter nenhum. Eu fui agredida, humilhada e tive minha vida exposta pra toda a internet ver. Fui tratada como lixo. Considerava a Caroline uma irmã, ela usou minha confiança, me traiu pelas costas e ainda mente que se quer teve uma proximidade comigo. O Klyn, bom, ele é o pior homem que eu já conheci na vida. Ele é um monstro capaz de qualquer coisa. Ele mente com um tom de humildade e engana a todos. É incrível como basta você ter seguidores que todos legitimam o que você diz porque em nenhum momento ele provou alguma acusação que fez contra mim. E mais engraçado é que todos me cobraram provas, mas ninguém cobrou provas dele. Então as provas estão aí. Agora caso alguém ainda insista em acreditar em algo que ele diz é porque tem o caráter tão sujo quanto o dele”, expõe Clara que continua:

“Gostaria de adicionar que na época não fui na delegacia porque ele me ameaçou dizendo que se eu procurasse a justiça ele iria acabar comigo. O klyn tem passagem pela polícia e usa documentos falsos. Vocês acham mesmo que ele chamaria a polícia no dia que me agrediu como ele disse na live e que a polícia escutaria ele ? Esse cara é um mentiroso nato e não tem escrúpulos quando o assunto é mentir. Na época procurei o Fideliz pra contar ocorrido porque não achava justo que esse cara continuasse se dando bem na vida e enganando a todos. Já que não podia ir na polícia por medo, então fiz o que no momento me pareceu a única saída. Todas as mulheres que já foram vítimas de agressão física, psicológica e moral sabem do que estou falando. É muito fácil pra quem vê de fora dizer você deveria ter feito isso ou aquilo. Mas quando acontece com você são outros 500. É muito conveniente agora o Klyn dizer que eu tinha sugar daddy, que eu fazia barriga de aluguel…é só olhar meu corpo e ver que nunca fiquei grávida. Mas quando eu bancava uber pra ele ir pro estudio, pagava as coisas pra ele e dava jóias e presentes ele nunca questionou nada. Eu tenho uma empresa com CNPJ no meu nome. Tenho como provar de onde vem meus rendimentos. Tenho um corre de 3 anos e não sou sustentada por ninguém. Basta jogar meu nome artístico no Google “COCOA MAMI” e ler as matérias que têm lá a respeito do trabalho do meu coletivo e como DJ. Basta entrar no meu Instagram e ver os trabalhos que fiz como modelo para diversas marcas grandes aqui no Brasil. Tudo se comprova. Estão ainda dizendo que a Recayd me pagou pra fazer aquele vídeo. Isso é mentira. Eu mesma já contratei eles para fazer um show no meu evento. Não preciso do dinheiro deles. Acontece que a verdade está do meu lado e pro consequência do lado deles também. Acho engraçado como ninguém questiona o fato dos próprios amigos do Klyn de anos ficarem contra ele. Mas claro, ele sempre sai como vítima e coitado na história. Na última live que ele fez no YouTube ele nem mostra o rosto. Como as pessoas acreditam em alguém que não tem coragem de mostrar a cara quando fala? Ele fala até meu nome completo. Eu não entendo a obsessão que esse cara criou por tentar denegrir minha imagem. Espero que com isso, as pessoas pensem muito bem antes de acreditar no que qualquer pessoa diz por aí. Antes de abraçar ideias erradas. O Klyn é o cara mais hipócrita que já conheci na vida. Tudo que ele canta nas músicas dele é uma mentira. Ele é manipulador capaz de qualquer coisa pra não ter a humildade de assumir os próprios erros. Infelizmente a Caroline é só mais uma mulher manipulada por um cara como ele e que está até agora sustentando uma mentira. É triste ver até onde as pessoas são capazes de ir por conta do próprio ego”, exclama.

Versão do Klyn

O rapper para explicar a sua versão da história, fez diversas lives no YouTube se explicando, e tudo começou quando o Klyn fez um vídeo explicando que havia ou não saído da Recayd Mob, para acabar de um vez por todas com os boatos. No primeiro vídeo de toda a saga das brigas, o Klyn afirma que não teria saído da Recayd Mob. O rapper continuaria no coletivo, e só teria sido retirado da grade de shows, após uma briga, no qual ele revelaria que Jé Santiago teria dito em uma reunião que não achava justo dividir cachê com ele, por ele ter menos popularidade no grupo, isso incluía: menos seguidores no Instagram, menos visualizações no YouTube e etc.

Mas toda esse história de Klyn foi confrontada, já que no dia seguinte, Derek, Dfideliz, Jé Santiago, Igu e Ed fizeram um vídeo contando a real situação do coletivo, e esclareceram também, o motivo pelo qual Klyn teria sido retirado da grade de shows do coletivo. Segundo o grupo, Klyn teria sido retirado, por conta das mentiras que havia contando e por ter agredido sua ex-namorada, apresentado áudios que o rapper teria enviado no dia do incidente, como prova. Nos áudios, Klyn afirma que teria enforcado sua ex-namorada, tendo consciência de que esse ato poderia ter peso em sua carreira: “O máximo que pode aconteceu se der m*rda é eu sair da Recayd”, disse o rapper depois da confissão.

Em um segundo vídeo de esclarecimento de Klyn, o rapper desmente acusações de agressão, levando tudo com se fosse um grande mal entendido, e falha de interpretação, alegando que sua ex teria surtado e começado a se debater, ao saber que Klyn não ficaria mais com ela. O rapper disse que se ela quisesse surtar, que o fizesse fora de sua casa, pois ali seria um ambiente que seus filhos frequentam, e foi ai que ele explicou a agressão: “Eu coloquei levemente a mão no pescoço dela e fui empurrando ela para fora de casa. Não houve agressão.”

Por tanto, Klyn nega as acusações de Clara Soares e já ingressou com algumas ações judiciais contra sua ex-namorada.