Delatorvi reflete sobre “cancelamento” de Chris Brown e aponta hipocrisia do público

O cantor Chris Brown é um artista que sempre tem seu nome ligado a confusões; agressões, crimes, violências, sejam elas grandes ou pequenas. A que mais marcou sua carreira foi quando ele agrediu a cantora Rihanna, quando os dois namoravam em 2009. Na ocasião ele foi condenado a cinco anos de condicional, a pagar uma multar, assistir palestras educativas sobre violência e a trabalhos comunitários.

Podemos dizer que sua carreira foi afetada diretamente por este problema, onde o artista passou a ser fortemente boicotado e até mesmo tendo perdido espaço em diversos canais da mídia, porém mesmo assim, o cantor é considerado uma das grandes vozes do RnB e tem diversos fãs pelo mundo, inclusive no Brasil, onde uma pesquisa no passado apontou que é o segundo país onde o cantor tem mais fãs.

Depois de noticiarmos que o cantor Chris Brown mostrou desejo de voltar ao Brasil em sua próxima turnê, vimos uma reunião de usuários provocando a famosa “cultura do Cancelamento” sobre o cantor. Isso geralmente acontece quando o público para de consumir a arte de tal personalidade por algo que o artista tenha feito de negativo, que no caso de Chris Brown é a agressão contra Rihanna, mas não são todos os artistas que são cancelados assim e o rapper mineiro Delatorvi, parece abordar o assunto, apontando a hipocrisia do público.

Em sua conta no Twitter, o rapper publicou: “Dr.Dre também foi Chris Brown nem por isso vocês deixaram de dar play em DAMN, we know” publicou, dizendo que o mega produtor Dr. Dre também tem agressões a mulheres em seu currículo e que nem por isso os fãs deixaram de ouvir o o rapper e produtor.

Caso você não saiba, Dre já foi acusado de bater em mulheres mais de uma vez. Em 1992, a denúncia foi feita pela jornalista Dee Barnes. A ex-noiva de Dr. Dre, Michel’le, também o acusou de tê-la agredido fisicamente durante os anos em que passaram juntos – de 1990 a 1996. Em entrevista ao jornal americano The New York Times, Dre se desculpou pelas atitudes. “Vinte e cinco anos atrás, eu era um jovem que bebia demais e não tinha uma boa estrutura de vida. Entretanto, nada disso é desculpa pelo que eu fiz”, disse. “Estou casado faz dezenove anos e todo dia luto para ser um homem melhor para minha família, buscando ajuda pelo caminho. Estou fazendo tudo o que posso para nunca mais me assemelhar àquele homem. Eu me arrependo profundamente do que fiz e sei que impactei para sempre a vida dessas mulheres” concluiu.

Sair da versão mobile