Seguir

Julgamento de YNW Melly está adiado há 7 meses e sem previsão de retorno

Foto: Beth Bennett /South Florida Sun-Sentinel

YNW Melly já está preso por 1.910 dias lutando contra um duplo assassinato ocorrido em 2018.

Depois que seu julgamento de YNW Melly foi declarado anulado em julho passado, ele deverá ser julgado novamente pelos crimes. No entanto, isso também se transformou num jogo de espera devido a uma série de fatores.

Depois de evitar a condenação em seu primeiro julgamento, onde o rapper foi acusado dos assassinatos de seus amigos Christopher “YNW Juvy” Thomas e Anthony “YNW Sakchaser” Williams em 2018, a promotoria no caso teve a opção de deixar o rapper sair em liberdade ou aguardar preso o julgamento, com os juízes escolhendo a última opção.

Depois que Melly substituiu um de seus ex-advogados de defesa, a data do novo julgamento foi inicialmente marcada para 2 de outubro de 2023, e posteriormente adiada uma semana para 9 de outubro de 2023, porém, desde então, o caso ficou mais complicado.

FOTO: AMY BETH BENNETT

Na semana em que o novo julgamento estava previsto para começar, Melly e seu co-réu, YNW Bortlen, foram ambos acusados ​​​​adicionalmente de adulteração de testemunhas, com as autoridades acusando os rappers de conspirar para impedir que a ex-namorada de Melly, Mariah Hamilton, testemunhasse no primeiro julgamento.

Em dezembro de 2023, o julgamento foi adiado novamente a pedido da equipe de defesa de Melly, que solicitou a prorrogação para que pudessem depor mais de uma dezena de novas testemunhas. No mesmo mês, o estado optou por apelar de uma decisão de 20 de dezembro de 2023 tomada pelo juiz do circuito do condado de Broward, John Murphy III, que rejeitou evidências que os promotores disseram ajudar a provar a culpa do rapper, incluindo registros telefônicos, e-mails e postagens de redes sociais de Demons. Os promotores recorreram agora ao Tribunal de Apelações do Quarto Distrito em West Palm Beach, Flórida, buscando reverter a decisão de Murphy.

No mês passado, YNW Melly foi transferido da Cadeia do Condado de Broward para o Centro de Detenção Paul Rein em Pompano Beach, Flórida, enquanto se prepara para seu novo julgamento. Esta é a primeira vez que ele é transferido desde que foi preso em 13 de fevereiro de 2019. Ele pode enfrentar consequências fatais se for considerado culpado, já que se trata de um caso de pena de morte.