Seguir

Fãs descobrem tweets antigos com letras que Kendrick Lamar usou em sua diss contra Drake

Parece que Kendrick realmente deu uma pesquisada no Twitter antes de gravar sua diss

Recentemente, fãs de Drake descobriram tweets antigos com versos que Kendrick Lamar usou em sua disstrack contra o rapper canadense. Esses tweets, alguns com anos de idade, contêm letras quase idênticas às que Lamar incluiu em sua famosa diss “Not Like Us”, gerando especulações e curiosidade entre os seguidores de ambos os artistas.

Vários tweets ressurgiram, mostrando versos que Kendrick Lamar usou em suas diss contra Drake. Alguns desses tweets, datados de anos atrás, possuem linhas que se assemelham fortemente às letras das músicas de Kendrick. Entre os tweets mais notáveis, estão:

Capa Drake
Foto: Erika Goldring / Getty Images

Michael (@Iast_dayz) – “What if drake was called the 69 god” (Tweet de 26 de junho de 2023).
Frost (@Cammyiceee) – “If she listen to Drake she a OVHoe” (Tweet de 8 de março de 2016).
Billy (@backjoyski) – “Drake’s favorite chord must be a minor” (Tweet de 21 de setembro de 2021).
Gorp (@mladyfootlocker) – “Certified Lover BOY? More like Certified Pedophile” (Tweet de 31 de agosto de 2021).

Esses tweets reacenderam debates entre fãs sobre a originalidade das diss de Kendrick Lamar e a influência das redes sociais em suas letras. A similaridade dos versos com os tweets leva alguns a acreditar que Kendrick pode ter se inspirado em conteúdo postado no Twitter, algo que até mesmo Drake acusou o rapper.

Drake, em uma de suas respostas, comentou: “it feel like Twitter ghostwriting your reply” (parece que o Twitter está escrevendo sua resposta). Essa declaração adicionou mais lenha à fogueira, sugerindo que as respostas de Kendrick poderiam estar sendo influenciadas por conteúdos virais online.

Em notícias relacionadas, o criador do Rock In Rio, Roberto Medina, revelou em entrevista que o rapper Drake está ‘banido’ do festival após seu show em 2019. Ele alega que o rapper não é respeitoso e não merece pisar no Brasil.

Veja abaixo.